Quem Faz As Minhas Roupas?

Tempo de leitura: 3 minutos

Você já parou pra pensar nisso? Quem faz as minha roupas?

Ou melhor, quem faz as roupas que a gente usa?

Na semana passada eu falei sobre como a moda é uma ferramenta de trabalho importante para mim.

Como ferramenta importante eu prezo pela qualidade e pela cadeia que ela movimenta.

Começou a Fashion Revolution Week

Essa é uma semana importante para a moda é a #FashionRevolutionWeek. Você conhece o movimento?

 

#FashionRevolution foi criado no dia 24 de abril de 2013, assim que o desastre do Rana Plaza aconteceu, 1.133 trabalhadores que trabalhavam em condições precárias em Bangladesh morreram, o movimento envolve mais de 90 países e tem como objetivo mudar a indústria da moda para melhor, especialmente trazendo mais transparência e sustentabilidade para a cadeia de produção. Tem até documentário no NetFlix sobre o assunto.

O objetivo é durante essa semana, incentivar pessoas do mundo todo, que amam moda, que trabalham com moda, que usam a moda como ferramenta como eu ou não – lembre-se você não pode sair pelado, então querendo ou não está envolvido no assunto –  a postarem fotos mostrando a etiqueta de suas roupas e usando a hashtag #WhoMadeMyClothes – Quem fez as minhas roupas? No fim das contas é uma forma de pressionar as marcas a mostrarem as condições de trabalho que estão por trás de cada peça de roupa.

Como Você pode Ajudar Também

Postei uma foto da etiqueta daquela peça que você amo e tagueie a marca perguntando #QuemFezMinhasRoupas ou #whomademyclothes.

 

O importante aqui é:

Pensar que através desse tipo de cobrança que podemos começar a ver uma verdadeira mudança na indústria da moda.

Por causa da pressão popular dos consumidores que marcas como Zara, H&M e MNG tem investido cada vez mais em reciclagem, materiais orgânicos e avanços na política de fornecedores terceirizados. Até hoje tem amigo e cliente meu que aprendeu isso comigo que quando compra em algumas marcas que acho duvidosas nessa cadeia me manda um desculpa, acredita? Mas a desculpa deve ser pro mundo e não pra mim J

A situação ainda está distante do ideal, mas, por isso precisamos continuar cumprindo nossos papéis como consumidores e cobrando cada vez mais  mudanças.

Então vai lá no guarda-roupa, pega a sua peça de roupa favorita, vira ela do avesso, mostra a etiqueta e posta sua foto nas redes sociais tagueando a marca e perguntando: #WhoMadeMyClothes .

Olha algumas das fotos que já sairam:

fashion revolution week

 

Vale ressaltar que pra mim tá mais do que claro que quanto mais envolvimento tivermos em cada um dos ciclos das roupas e acessórios que compramos, mais a gente vai fazer parte dessa transformação. Não só de quem confecciona, mas de onde vem a matéria-prima daquele produto.

“Você muda o mundo quando começa pelo mundo que está em volta de você”

Então a Fashion Revolution é uma excelente oportunidade para refletirmos sobre quem somos como consumidores. Qual é a nossa parte de responsabilidade sobre a cadeia de produção?

Afinal de contas, como fá falei, ninguém pode sair por aí pelado e vai acabar comprando. Então  comprar é uma escolha e porque não passarmos a fazer escolhas mais conscientes?

Fica aqui o convite para dar o primeiro passo para a construção de um ecossistema de moda mais sustentável e mais justo pra todo mundo.

E atenção que no Brasil poderemos contar com diversos eventos espalhados por mais de 20 cidades. Pare um pouquinho e entre no site pra conferir o que vai rolar perto de você.

Fica aqui meu convite então, vamos falar sobre a moda que a gente quer ver?

Me conta se você tem se engajado em algum projeto desse tipo! Ou se nunca ouviu falar ou pensar no assunto!